É evidente que muitos de nós temos dívidas e acabamos nos endividando, mas acredite, você não é o único!

Temos que fazer milagres diariamente com o que ganhamos. São muitas contas e pouco salário. Viver com as contas em dia é quase um sonho inatingível para muitos brasileiros, porém, após ler esse artigo, verá que nem tudo está perdido. Vem comigo e veja como você pode melhorar seu controle.

Consumismo

O PRIMEIRO PASSO para controlar suas finanças é NÃO se IMPORTAR com as avaliações das outras pessoas sobre quem você é e o que você tem.

Ninguém precisa saber que você ganhou um aumento, que você comprou uma casa, um carro ou então que fez uma viagem dos sonhos. Os únicos que precisam saber são aqueles que você AMA. Eles sim, terão empatia e amor por você e pelo seu sucesso.

NÃO compre coisas apenas para impressionar ou para ter STATUS. Ninguém precisa ter um celular do ano, roupas de marca, sapatos caros… Devemos nos sentir bem com os momentos que vivemos e não bens que adquirimos.

A FELICIDADE está na SIMPLICIDADE.

Lembre-se de quando era Criança….. Sua VIDA era SIMPLES? Você tinha o melhor brinquedo? Sabia a marca de suas roupas? Se preocupava com o que seus colegas achariam do seu comportamento?

 A sua VIDA com certeza era muito mais LEVE! Tenha em mente isso. Viva para si! Seja feliz com a pequenas coisas e sua vida irá mudar completamente.

Planejamento

“Para quem não sabe onde quer chegar qualquer caminho serve”

Essa frase parece ser algo tão óbvio e elementar que acabamos por não perceber o quão difícil é saber ONDE QUEREMOS CHEGAR.

O planejamento financeiro é justamente a adequação de onde estamos e para onde vamos. Para isso precisamos dividir a etapa em dois momentos o HOJE e o FUTURO.

O Hoje é mais simples de ser determinado. Precisamos saber com o que gastamos e como gastamos. Precisamos observar nosso comportamento e passar a ter controle sobre ele.

Muitos dirão para você registrar diariamente todos os seus gastos, mas cá entre nós, não é todo dia que gastamos e controlar, todo santo dia, pode se tornar algo muito chato. Além disso você ainda pode perder a vontade de controlar seus gastos. O que afirmo, é que ao menos UMA VEZ POR SEMANA você tem que verificar todos os seus gastos e se assegurar que estão de acordo com o planejado, de acordo com a sua meta ou, se você ainda não criou metas, ver se não está extrapolando. Dessa forma entramos no segundo momento, o FUTURO.

Engraçado como nos surpreendemos com coisas que acontecem todos os anos: IPVA; Seguro; Iptu; Presentes do dia das mães, pais, crianças, … ; Aniversários; e mais algumas invenções…  Conhece alguém assim? Isso é uma parte do pensamento Futuro.

Muitas vezes preferimos não anotar ou controlar pois sabemos que no fim das contas não poderíamos estar comprando aquilo. Mas pense por um instante, no fim das contas, algum mês ou algum momento, você terá que deixar de comprar ou viver algo para pagar as dívidas do passado. O que você deve fazer é estabelecer metas de gastos para cada “categoria de consumo” e assim não extrapolar um mês para pagar no outro. As principais categorias de consumo são: Moradia, Alimentação, Transporte e Educação.

Se você não sabe quanto gasta em cada divisão dessa, comece registrando os gastos em cada categoria para depois fazer um planejamento. Agora se você já sabe quanto gasta, você deverá criar metas para cada uma delas.

Para o controle de suas metas existem diversos aplicativos que te ajudam a controlar. Veja Aqui.

Quitar dívidas

Para iniciarmos nossa caminhada junto à liberdade financeira precisamos nos livrar das dívidas que criamos no passado. Precisamos verificar o porquê gastamos mais do que ganhamos e como podemos equilibrar essa balança. Não existe nenhum salário no mundo que resista aos gastos sem planejamento. Acredite, até pessoas que ganham o dobro que você conseguem se endividar. Mas como? Elas são malucas? Claro que não.  Pense o seguinte, você com certeza ganha o dobro do que alguém e mesmo assim acha que não ganha o suficiente para seus gastos mensais. Isso é natural, mas o que temos que verificar é o que nos faz pensar que temos que gastar o que gastamos. O que faria se tivesse que ajudar alguém que ama com 10% de sua renda mensalmente?

Esse pensamento é o que leva você a conseguir quitar suas dívidas, a pensar em onde poderia se conter e não extrapolar. Esses 10% que conseguiria reduzir dos seus gastos mensais pagariam aos poucos suas dívidas até quitá-las e após isso, ela seria a sua reserva para realização de sonhos futuros.

Renegocie suas dívidas com seu credor e pare o quanto antes de pagar juros!!
Lembre-se que os piores juros são os do Cartão de Crédito e do Cheque Especial. Não cometa esse crime de utilizá-los, faça um empréstimo com juros menores em casos de extrema necessidade.

Crie uma reserva financeira

Ter um fundo para emergências é essencial para não passar apertos caso aconteça algum imprevisto na sua vida, como um carro quebrado, uma doença inesperada ou a perda do emprego. Por isso, caso não tenha dívidas, reserve pelo menos 10% da sua renda mensal para formar esta “Poupança”, que deve corresponder no total em torno de três a seis meses do seu salário, dependendo da estabilidade do seu emprego. Para não correr riscos de esquecer de depositar o valor, programe a transferência para uma poupança ou outra forma de aplicação para um dia próximo da data em que você recebe seu salário. Assim, você não corre o risco de cair em tentação e gastar o dinheiro. Lembre-se sempre de pagar a você primeiro!!!

Fuja das Promoções!!!!

Como assim? Fugir de comprar produtos mais baratos? Mas eu estou economizando!!

Vamos lá! Entenda que a grande questão das promoções é a psicológica. Geralmente elas são feitas para você levar mais produtos de que precisa. O velho pague 3 leve 4. Deve-se ter esse tipo de promoção ter muito cuidado para não jogar dinheiro fora. Vou te dar um exemplo: Se for uma promoção de iogurte, provavelmente a validade está próxima do vencimento e você talvez não consiga tomar todo o iogurte. A pergunta que deve ser feita é a seguinte! Eu preciso levar 4 iogurtes para casa? O mesmo exemplo pode ser aplicado com roupas, sapatos, eletrônicos… Claro que existe o lado bom das promoções. Por exemplo, quando vamos fazer a compra mensal e temos lá produtos de limpeza com validade adequada. Precisamos ter a capacidade de não nos deixar levar pelas promoções e não afetar nosso planejamento em detrimento delas!

 

Já dizia Julius: “Se eu não comprar o desconto é maior!!!!”

Siga-nos