CDB - Certificado de Depósito Bancário

Vamos falar sobre um dos investimentos mais populares do Brasil em Renda Fixa e mais usados pelas pessoas que querem uma aplicação mais segura,

O CDB é um tipo de título emitido pelos bancos, no qual você empresta dinheiro para a instituição e recebe juros de volta.

O banco firma um acordo de que se você “emprestar” dinheiro, depois de um tempo, devolverão o valor com juros. No fim das contas, os juros são a sua remuneração por ter feito o empréstimo ao banco. O banco sai ganhando ao vender CDB, porque usa o dinheiro para crédito próprio.

O prazo do resgate é definido por cada banco, mas normalmente você pode retirar antes se quiser, respeitando o prazo mínimo que varia de título a título – podendo ser meses ou anos. Para que você receba os juros sobre o investimento é necessário que permaneça o tempo previsto do título.

Caso precise do dinheiro antes do prazo, muitos bancos permitem a retirada antecipada, porém não haverá ganhos sobre a aplicação, você sairá no zero a zero.

Existem dois tipos de CDB:

O prefixado, como o próprio nome já diz, o rendimento já está estabelecido na hora da compra. Ou seja, ao fazer o investimento, você já sabe o quanto vai ganhar no fim da aplicação.

E o pós-fixado, que o rendimento varia e você só sabe o total depois do vencimento, pois estão atrelados a taxas flutuantes, que estão ligadas a um percentual de variação de um índice, normalmente o CDI.

Geralmente, os CDBs são vendidos como uma porcentagem do CDI: 100% do CDI, por exemplo. O que isso quer dizer? Se a taxa Selic estava em torno de 6% ao ano em 2019, o CDI estava perto deste patamar: 5,96%.

Se o CDB rende 100% do CDI, ele rende 5,96%. Entendeu?

Vale a pena?

 No CDB não há cobrança de taxa de administração, mas existe incidência do Imposto de Renda. A cobrança vai de 15% a 22,5%, de acordo com o tempo investido, e isto é pago no resgate da aplicação.

Se o valor ficar aplicado por menos de 30 dias, será cobrado IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), portanto, não vá investir em CBD e pagar impostos se você for precisar do dinheiro em menos de um mês.

Tempo de permanência

Alíquotas regressivas

até 180 dias

22,5%

de 181 a 360 dias

20,0%

de 361 a 720 dias

17,5%

acima de 720 dias

15,0%

Em tempos de inflação alta também é necessário mais cautela com esse tipo de investimento. Apesar de parecer um bom negócio, antes de optar pelo CBD, faça um balanço do rendimento, comparando com a inflação (geralmente utilizamos o IPCA como referência). Se o retorno for menor que isto, você acaba perdendo dinheiro, no final  do  mês.  Mas  vale  ficar  de  olho,  pois geralmente, os bancos oferecem taxas maiores de acordo com o valor investido.

Quais são os riscos?

 Apesar de ser tradicional e conhecido por muita gente, o maior risco dessa aplicação não dar certo é só no caso de falência do banco. Para evitar o susto, procure um banco que seja idôneo e que tenha segurança de mercado. Há uma garantia mínima da sua aplicação oferecida pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) de R$ 250 mil. Então, se a sua aplicação for até este valor, você tem a segurança de receber de volta a quantia disponibilizada no investimento. Se você ficar na dúvida se esta pode ser uma boa opção de investimentos, deixe seu email nos comentários que entramos em contato.

Como aplicar neles na Prática?

Primeiramente voce deve abrir conta em uma corretora, recomendo a Easynvest (ressalto que não ganho nada por isso, indico apenas pois é a que utilizo) para aplicações me renda fixa, pois não cobra manutenção de conta e nem custódia sobre as aplicações. Lá voce deve procurar a aba de Investir – Renda Fixa – CDB’s:

Essas são exemplo de opções de Investimentos em Renda Fixa na prática.  A tabela é composta por:

Banco Emissor –  Importante verificar se é um banco saudável (quanto maior o rendimento, menos saudável ele o é)

Tipo – tipo de taxa atrelada ao investimento (podendo ser Prefixada também)

Vencimento –  quanto maior o vencimento, maior a rentabilidade

Liquidez –  quando você terá o dinheiro na mão após o prazo do investimento

Rentabilidade –  o que mais queremos…. quanto vamos ganhar

Valor Mínimo – geralmente os melhores rendimentos possuem um valor mínimo elevador, mas não é uma regra.